Vocabulário de boxe em Inglês!

Atualizado: há 7 dias


Boxe – A palavra “boxe” foi formada a partir do verbo inglês “to box”. O significado original era “bater”, mas, lá pelo ano 1 500 dC, passou a denotar “bater com os punhos” e seu atual uso substantivado significa “luta com os punhos, principalmente em prática desportiva”.

É de se chamar a atenção para o fato que, ao contrário do que muitos brasileiros acham, nos países de língua inglêsa o boxe não é chamado de boxe, mas de boxing.

Pugilismo – Em latim, a palavra “pugillus” indica o punho fechado, em forma de soco. A partir disso, foi criada a palavra PUGILLATUS, que traduzimos como pugilato, para indicar o antigo boxe romano. Assim que:

· PUGILISMO: rigorosamente falando, é o antigo boxe romano; nos tempos atuais, na prática, o termo pugilismo indica qualquer luta onde se usa principalmente os punhos, como o boxe inglês, o savate, o pugmachia, o mala-yudha, etc. Os especialistas na História do Boxe são mais radicais: usam a palavra boxe apenas quando se referem ao boxe inglês praticado a partir das Regras de Broughton ( criadas em 1743 ) e usam a palavra pugilismo para denotar qualquer “boxe” anterior a esse período.

· PUGILISTA: rigorosamente falando, indica o praticante do boxe romano; nos tempos atuais, na prática, o termo indica o praticante de qualquer luta onde se usa principalmente os punhos.

A partir desses termos foram criados vários outros que refletem características da luta ou qualidades dos lutadores de boxe, como: PUGNA ( para indicar uma disputa, uma altercação ), PUGNACIDADE ( para indicar alta combatividade e determinação de uma pessoa ), etc.

Sparring – Originalmente, “sparring” era a palavra inglesa que referia-se ao ataque do galo usando seus esporões. Como o boxe adotou várias práticas e termos das rinhas, ficou a tradição de usarmos o verbo “spar”, ou seu gerúndio “sparring”, quando lutamos mais com sentido de treino, exibição ou mesmo puro divertimento, e usamos o verbo “boxear” quando lutamos pra valer. No Brasil, prefere-se usar a expressão “fazer luvas” como sinônimo do verbo sparring. Desse velho costume, se originou o substantivo sparring para denominar um colega que tenha estilo semelhante ao do nosso próximo adversário e que se dispõe a ajudar nosso preparo fazendo lutas de treinamento ( “luvas” ) conosco.

Shadow boxing ou boxe sombra – “Shadow” é uma palavra inglesa que pronuncia-se “chédou” e significa sombra. Originalmente, nos séculos XVII e XVIII, usava-se a expressão “shadow boxing” para indicar o treinamento que o boxeador fazia ao lutar com a própria sombra, produzida na parede pela projeção da luz de uma vela que ele colocava nas proximidades.

Atualmente, se faz o boxe sombra lutando com nossa imagem produzida num espelho de parede. Trata-se de exercício muito útil pois que nos permite aprender a frear o braço e assim evitar dolorosas distensões, em caso de golpe errado ou esquivado pelo adversário. Outra grande utilidade desse exercício é o desenvolvimento da capacidade de aplicarmos “combinações”: sequências planejadas de vários socos.

Clinch – Situação de luta onde os dois boxeadores estão segurando-se ou apoiando-se mutuamente sem trocar socos. O clinch ocorre quando ambos os lutadores ficaram esgotados depois de uma violenta troca de golpes, ou quando um deles sentiu um golpe e, então, em manobra defensiva, procura segurar o adversário junto a seu corpo, procurando travar o ímpeto do mesmo ou anular sua momentânea vantagem. No boxe amador, o excesso de clinchs é punido com perda de pontos.

Infighting – Esse termo se pronuncia “infaiting” e é feito de duas palavras inglêsas: in ( dentro ) e fighting ( lutar ), sendo empregado quando os boxeadores estão lutando à pequena distância ou mesmo se tocando ( sem haver agarramento, o que caracterizaria um clinch ).

O infighting é mais usado para se esgotar o adversário para então darmos um golpe mais forte aplicado à longa distância.

Boxeur – palavra francesa que se pronuncia “boxér” e significa “boxeador”.

Undisputed champion – Pronuncia-se “andispiutede champion” e indica um boxeador que é reconhecido como campeão pelas principais associações do boxe profissional. Atualmente, isso significa ser campeão tanto pela WBA = Associação Mundial de Boxe como pelo WBC = Conselho Mundial de Boxe.

Challenger – Palavra inglêsa que se pronuncia “tchálenger” e pode ser traduzida por desafiante. Ela é usada no boxe profissional para indicar todo boxeador que desafia o campeão de sua categoria.

“Mandatory challenger” aplica-se ao boxeador classificado imediatamente abaixo do campeão. Ou seja, indica o primeiro colocado no ranking. Esse boxeador é dito ser o “mandatory challenger” ou “desafiante obrigatório” pois que seu desafio não pode ser recusado pelo campeão.

Contender – Palavra inglesa que pronuncia-se “cantenderr” e que denota todo boxeador que, fruto de sua experiência e qualidades, merece uma oportunidade para lutar por título mundial e tem boas possibilidades de vencer.

Journeyman – Palavra inglesa que pronuncia-se “jurneimam” e que tem significado quase oposto de contender, pois que denota um boxeador experiente mas de qualidades apenas regulares. O journeyman está sempre sendo requisitado para preencher vazios na programação dos eventos pugilísticos ou para servir de “escada” para um boxeador jovem e promissor.

Bruiser –Palavra inglesa que pronuncia-se “bruuserr” e é difícil de se traduzir. Nos primeiros tempos do boxe sem luvas denotava qualquer boxeador. Hoje denota apenas os boxeadores de aspecto selvagem e rude: Sonny Liston e o jovem Mike Tyson foram exemplos recentes de bruisers.

Cut man – Expressão inglesa que se pronuncia “cótman” e é usada exclusivamente no boxe profissional. Ela poderia ser traduzida como “o homem dos cortes” pois que denota o “segundo” que é especializado em tratar, durante os intervalos da luta, dos ferimentos de seu boxeador. No boxe amador, raramente se permite um boxeador ferido continuar lutando.

Knee man – Expressão inglesa que se pronuncia “quinii man” e era usada, na época do boxe sem luvas, para indicar o segundo que nos intervalos tinha seu joelho usado como cadeira de descanso por seu principal.

Referee – Palavra inglesa que se pronuncia “réferrii” e corresponde à nossa palavra “árbitro”.

Manager – Palavra inglesa que pronuncia-se “méneger” e corresponde à expressão brasileira “empresário de boxe”. Ela é usada apenas no contexto do boxe profissional e denota a pessoa que é contratada pelo boxeador para marcar suas lutas, discutir o valor de suas bolsas, buscar patrocinadores e tratar dos demais aspectos financeiros associados à sua carreira.

Um bom manager está sempre atento para poder achar o ponto exato entre as lutas de boa perspectiva de vitória de seu “pupilo” e as lutas com bom retorno financeiro. Ele deve ser paciente para não “queimar” o boxeador sob sua orientação, colocando-o contra outro mais experiente.

No caso de boxeadores em início de carreira, por razõoes de economia, é comum que o treinador e manager sejam a mesma pessoa.

Promoter – Palavra inglêsa que pronuncia-se “promôter” e corresponde à expressão brasileira “promotor de lutas”. Um promoter é uma pessoa ou uma empresa que organiza, divulga, produz e vende lutas de boxe.

É bastante comum de ocorrer que, nas lutas organizadas por um promoter, estejam envolvidos boxeadores que são por ele empresariados. Dois promoters de grande importância histórica foram Tex Rickard, nos USA, e Jacó Nahun, no Brasil. Entre os promoters atuais, talvez os mais famosos sejam Don King e Bob Arum.

Time – Palavra inglesa que se pronuncia “taime” e significa “tempo”; ela e’ usada pelo árbitro para indicar o término de um round da luta.

Stop – Palavra inglesa que se pronuncia “istópe” e significa “pare”. Ela é uma ordem do árbitro determinando que, momentaneamente, os boxeadores parem de lutar de modo que ele possa fazer uma advertência, iniciar uma contagem, chamar o médico de ring ou tomar qualquer outra providência que achar necessária.

Break – Palavra inglesa que se pronuncia “breique” e significa quebrar; ela e’ usada pelo árbitro como ordem para os lutadores se separarem de um clinch. No Brasil, é comum ouvirmos a pronúncia errada “bréque”, resultado de lamentável confusão entre “brake” ( que significa freiar ) e “break”.

Box – verbo que tem significado oposto do “stop”: é um comando do árbitro para que os boxeadores recomecem a lutar. (Não confunda o comando box com o substantivo boxe, o qual denota nosso esporte, conforme já foi explicado acima ).

KO; knockout; Nocaute – Esse termo é feito de duas palavras inglêsas: knock ( derrubar ) e out ( fora ). Frequentemente é usada sua abreviação: KO, que se pronuncia “queiô”.

A palavra knockout foi inventada, em 1882, por um jornalista ao descrever o resultado de uma das lutas mais importantes de todos os tempos: John Sullivan versus Ryan, vencida pelo primeiro no oitavo round. O significado original era: “derrota pela inconsciência provocada por golpe”. Foi, inclusive, com esse significado que o termo passou a ser usado em assuntos que nada tem a ver com o boxe, sempre que queremos dizer que algo “foi tornado inoperante”.

No boxe atual, contudo, o termo knockout é usado apenas no boxe profissional e num sentido mais preciso: “derrota por golpe que provocou inconsciência ou severo atordoamento durando dez segundos ou mais”. Insistimos: os termos nocaute, knockout e KO estão banidos do boxe amador!

Knockdown – Esse termo é feito de duas palavras inglêsas: knock ( derrubar ) e down ( abaixo ). Pronuncia-se “nóquidaum”.

E’ empregado quando um soco “derruba” um dos lutadores, mas esse consegue se levantar em menos de dez segundos. É necessário que se acrescente que esse “derruba” significa “tirar da posição em pé”, o que pode ocorrer se tocando o chão com qualquer parte do corpo que não seja os pés, ou mesmo ficando dependurado nas cordas do ringue ou tendo sido jogado fora dele.

Nocaute técnico; technical knockout; TKO – Termo de uso exclusivo no boxe profissional e denota término de luta pelo fato de o árbitro ter considerado um dos lutadores sem condições de continuar a pelejar. Um modo de isso ocorrer é a sucessão de três knockdowns num mesmo round.

Decisões POR PONTOS no boxe profissional: – unanimous decision – majority decision – split decision – majority draw

– decisão unânime: todos os três juízes indicaram o mesmo vencedor – decisão da maioria: dois juízes escolheram um lutador e o terceiro juíz considerou a luta empatada – decisão dividida: dois juízes escolheram um lutador e o terceiro juiz escolheu o outro lutador – empate pela maioria: dois juízes consideraram a luta empatada e o terceiro achou um vencedor

RSC; Referee Stoped Contest – Termo de uso exclusivo no boxe amador e denota luta terminada pelo árbitro por medida de precaução, por ter considerado um dos lutadores ser flagrantemente inferior a seu oponente ou de estar sem condições de continuar a pelejar.

RSCO ou RSC-OS; Referee Stoped Contest – OUTSCORED – Termo de uso exclusivo no boxe amador e uma variante do RSC. Denota término de luta pelo fato de um dos boxeadores ter conseguido um grande diferencial de pontos em relação a seu adversário.

Até 2002, esse diferencial era de 20 pontos. A partir de 01/01/2003 será adotado: os tradicionais 20 pontos nas categorias senior e juvenil, e 15 pontos na cadete e feminino. Ainda a partir de 01/01/2003, o RSCO não pode ser decretado no último round da luta.

RSCH; Referee Stoped Contest – HEAD – Termo de uso exclusivo no boxe amador e uma variante do RSC. Denota término de luta pelo fato do árbitro ter considerado que um dos lutadores sofreu um excesso de socos na cabeça.

Draw – Palavra inglesa que se pronuncia “dró” e denota uma luta empatada ou anulada.

WO – Abreviação da expressão inglesa: “walk over” e que significa que o lutador adversário ou não compareceu, ou foi impedido de lutar ( por decisão médica, por não ter conseguido “fazer o peso”, por não trazer equipamento de luta regulamentar, etc ), ou se retirou do ringue antes do início da luta.

Cartel – No sentido mais geral, indica o curriculum de um boxeador: lutas que realizou, títulos que conquistou, etc. Pode ser usada em sentido mais particular, como o da relação de lutas que um promotor ou empresário organiza para um boxeador que contratou.

Corner – Palavra inglesa que significa “canto” e refere-se a cada um dos quatro cantos do ring. Em rings oficiais, um corner é pintado de azul e seu oposto de vermelho, sendo que é nesses dois corners que os lutadores e suas equipes de apoio tem de permanecer antes da luta e durante os intervalos dos rounds; os outros dois corners tem cor branca e são considerados neutros, sendo que é para um deles que o boxeador tem de se dirigir quando o árbitro estiver fazendo contagem de tempo para o adversário ou quando tiver de ser examinado pelo médico de ring.


Fonte: https://esporteunimep.wordpress.com/glossario/


Beni For All - Inglês  onde você estiver

Nos siga nas redes sociais:

 

(11) 99789-5818

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

© BeniForAll - idiomas onde você estiver